Saiba quais são os sintomas de depressão na infância

Saiba quais são os sintomas de depressão na infância

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 18 de setembro de 2019

Setembro é o mês de prevenção ao suicídio. A campanha Setembro Amarelo, criada pelo Centro de Valorização da Vida em 2015, visa estimular a sociedade a discutir este assunto que ainda é tabu. Neste artigo vamos falar sobre a depressão infantil, como identificar seus sintomas e como preveni-la.

Como a doença se apresenta nas crianças

A psicóloga clínica especializada em infância Luciane Kozicz explica que a depressão em crianças não é como nos adultos. Segundo ela, podem estar deprimidas “crianças retraídas, que se isolam, com dificuldade de aprendizado, que apresentam dor frequente de cabeça e de barriga e que choram muito quando se afastam do cuidador”.
A psiquiatra Sheila Caetano conta que crianças dos 7 aos 12 anos que estão em depressão falam “que tudo é muito tédio e que o tédio não sai”. “E elas já começam a esboçar um desejo de morte, mesmo que ainda sem ter noção de que se trata de algo irreversível.”
Luciane analisa que a depressão infantil “tem sido erroneamente confundida com tristeza. Acontece que a tristeza é passageira. É confundida também com hiperatividade e TDAH”, o que sugere que os números reais sejam ainda maiores do que os registrados. A doutora revela também que há três vezes mais meninas em depressão que meninos.
A pediatra Ana Escobar recomenda que, por estarem com o cérebro ainda em desenvolvimento, crianças não usem antidepressivos logo de cara. Em vez disso, ela sugere a psicoterapia como primeira opção de tratamento. Um estudo divulgado recentemente no periódico médico britânico The Lancet corrobora essa visão, apontando que a maioria dos antidepressivos é ineficaz em crianças e adolescentes com depressão grave, podendo até aumentar a chance de pensamentos suicidas.
Não ao acaso assistimos ao aumento da triste estatística de crianças deprimidas e atentando contra a própria vida. São inúmeras as causas que podem levar uma criança a experimentar sintomas tão dolorosos de depressão. Não pretendemos esgotar esse tema, no entanto a complexidade das relações, a grande expectativa sobre o sucesso numa sociedade conturbada e complexa quanto a nossa podem ser difíceis demais para indivíduos ainda imaturos neuropsiquicamente.
O coaching pode ser um auxiliar quando esses quadros ainda não se manifestaram, ao favorecer a reconexão de famílias que não se comunicam mais a não ser por aplicativos, ao propiciar espaço para que a criança se manifeste de forma sincera e ao mesmo tempo tranquila, ao estimular que a criança identifique suas melhores virtudes e possa aplica-las em sua vida social na escola e em casa. O Coaching infantil na ótica do Método KidCoaching exibe técnicas que elevam a capacidade autorreguladora da criança, da família e do grupamento escolar. Ajudar a criança a sentir-se firme e segura para dormir em sua própria cama, por exemplo, aumenta sua autoestima e sensação de perceber-se como protagonista de sua vidinha.
E mesmo depois de diagnosticada a depressão, o coaching pode ser uma aliado junto aos profissionais da saúde por orientar os pais e cuidadores auxiliando-os a terem comportamentos efetivos na lida com seus filhos diante de situações tão assustadoras.

Alguns dados sobre o assunto:

– De acordo com pesquisa publicada em 2016 pelo periódico médico britânico The Lancet, 2,8% das crianças entre 6 e 12 anos sofriam de depressão grave nos países desenvolvidos;
– Segundo a farmacêutica Julie M. Zito, da Universidade de Maryland, em 2007 cerca de 1,5 milhão de indivíduos menores de 18 anos usavam antidepressivos nos Estados Unidos;
– No Brasil, 61% dos entrevistados em estudo do Instituto Ipsos realizado em 2019 consideram-se muito felizes ou felizes – uma queda de 12 pontos percentuais em relação à última edição, feita em 2018, quando o resultado foi de 73%. No mundo, o índice de felicidade também caiu de 70% para 64%.

Fontes:
“Médicos explicam como a depressão se desenvolve nas diferentes etapas da vida”. Disponível em: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2019/08/medicos-explicam-como-depressao-se-desenvolve-nas-diferentes-etapas-da-vida.html

“Brasileiros estão menos felizes em 2019, diz pesquisa da Ipsos”. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-49666519

“Setembro amarelo – depressão na infância”. Disponível em: https://www.facebook.com/sinprodf/videos/365119577755819/

“Maioria dos antidepressivos é ineficaz em crianças e adolescentes”. Disponível em: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/06/maioria-dos-antidepressivos-e-ineficaz-em-criancas-e-adolescentes.html

 

                      

Matérias Relacionadas

Teste: como está a minha comunicação com meu filho adolescente?
Sociointeracionismo, o que é?
Cinco filmes para inspirar sua carreira