O Natal para além dos presentes e da ceia

O Natal para além dos presentes e da ceia

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 23 de dezembro de 2019

A maioria das crianças espera ansiosamente pela chegada do Papai Noel na noite de Natal. Mas, depois que crescem, em geral suas lembranças estão relacionadas aos momentos em família, às brincadeiras inventadas e às músicas cantadas em coro, ao afeto proporcionado pela conexão criada neste dia tão especial.

O Natal, para além dos presentes embaixo da árvore e das comidas gostosas, é sobretudo uma excelente oportunidade de estar junto, desfrutando do convívio com a família (de sangue ou de coração): com aqueles que, estando perto ou longe fisicamente ao longo do ano, estão sempre em nossos pensamentos e orações.

Neste ano, que tal preparar a ceia juntos, arrumar a mesa juntos, aproveitando a companhia uns dos outros, lembrando dos Natais passados – sem “panelinhas”, sem homens pra um lado, mulheres pro outro. Na internet, dá para encontrar algumas sugestões de brincadeiras para a noite de Natal que vão animar crianças e adultos.

Ancestralidade: a troca de presentes afetivos

A proximidade de diferentes gerações é uma das tradições mais bonitas do Natal: os pais passam suas crenças aos filhos, os avós contam histórias cheias de significado para os netos, as crianças trazem seu olhar puro e curioso para os adultos. Todos se nutrem e se energizam para o ano que vai chegar, reforçando os laços de sangue e amor.

Então, apesar das diferenças que existem dentro de toda família, convidamos a todos a uma reflexão sobre o real significado do Natal, sobre o que Jesus pregava: a tolerância e o acolhimento a todos, independentemente de quem sejam, o que pensem ou em quem votaram nas últimas eleições.

Quando os adultos da família conseguem deixar de lado o que os afasta e se deixam contagiar pelo espírito de Natal – não por obrigação, mas por um sentido de união maior –, podem formar uma egrégora de luz, e isso certamente se refletirá em memórias felizes e saudáveis para as crianças.

                      

Matérias Relacionadas

Digital influencers e os adolescentes
#euindico nº 1
Como ajudar Adolescentes