Não sou um expert em crianças, posso ser KidCoach?

Não sou um expert em crianças, posso ser KidCoach?

Por: Marcia Belmiro | Carreira | 03 de abril de 2020

Algumas pessoas entram em contato conosco interessadas na Formação Kids Coaching, mas se mostram inseguras pois, em suas palavras, “não têm jeito com crianças”. Marcia Belmiro responde a essa questão:

Se você tem interesse em trabalhar com crianças e famílias, não há motivo para se preocupar caso não tenha experiência prévia com esse público. O Método CoRE KidCoaching é suficiente, acredite. No material da Formação, há um passo a passo claro e específico, produzido com embasamento teórico consistente, testado e aprovado por milhares de famílias.

Além disso, há práticas sugeridas ao longo de todo o cronograma de estudos, que prepararam o aluno para os atendimentos. Há também uma mentoria virtual – que acontece ao longo de 30 dias, em meses intercalados, durante um ano –, e ainda seis encontros on-line com mentores.

Ou seja, o Método realmente prepara os KidCoaches. Só depende da pessoa se empenhar, estudar e colocar seus conhecimentos em prática. Para isso, é importante desenvolver em si a autoconfiança para tal, e isso não necessariamente tem a ver com alguma experiência profissional prévia com crianças.

Existem KidCoaches que sentem o chamado para transformar famílias, mas ficam mais à vontade na lida com adultos. Para essas pessoas é possível atender exclusivamente no Modo Parental, para pais de crianças até 7 anos, ou prestando consultoria a professores e gestores escolares.

Outra questão que ouço muito é: ‘Tenho tantas dificuldades com meus filhos, como serei capaz de ajudar outros pais e mães?’ Mais uma vez afirmo: não há motivo para preocupação. O KidCoach não vai dar respostas prontas aos clientes, do tipo ‘fiz na minha casa e deu certo’.

Pelo contrário, vai ajudá-los a refletir – com boas perguntas, sem julgamentos – e encontrar as próprias soluções, que vão funcionar no contexto daquela família específica, que tem seus princípios e valores específicos, com relações singulares entre seus integrantes.

O que percebemos é que, à medida que atende outras famílias, o Coach aumenta sua autoconsciência, e consequentemente aprimora a conexão em sua própria família, encontrando ele também as soluções que vão se encaixar no contexto específico de sua casa.”

                      

Matérias Relacionadas

Como você quer que seja seu 2020?
Cinco sinais de que seu filho pratica bullying
Criança birrenta: como lidar com as birras no dia a dia