Menu Categorias
#euindico – Marcia Belmiro: filmes para a adolescência

#euindico – Marcia Belmiro: filmes para a adolescência

Por: Marcia Belmiro | Adolescentes | 07 de outubro de 2019

Atendendo a pedidos de mães, pais e educadores que acompanham meu trabalho, fiz uma lista de quatro filmes de ficção – brasileiros e estrangeiros – e um documentário que abordam questões fundamentais da adolescência: a necessidade de o jovem conduzir o próprio destino, a solidão, a importância da amizade, os preconceitos, a cultura de violência, a descoberta da sexualidade.

Por meio da poesia, da diversão, da reflexão ou de dados estatísticos estas obras podem gerar interessantes discussões na família e na escola. Prepare a pipoca e dê o play!

Colegas
Brasil, 2012

Stallone (Ariel Goldenberg), Aninha (Rita Pook) e Márcio (Breno Viola) são grandes amigos e vivem juntos em um instituto para jovens com síndrome de Down. Um dia, têm a ideia de sair dali para realizar os sonhos de cada um. Inspirados pelos filmes que assistiram, eles roubam o carro do jardineiro (Lima Duarte) e fogem de lá dispostos a viver essa grande aventura. Venceu os prêmios de Melhor Filme, Longa-Metragem Brasileiro e Direção de Arte no Festival de Gramado.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=olRt1b2puGc

Dumplin’
Estados Unidos, 2017

Willowdean Dickson (Danielle Macdonald) é uma jovem gorda e bastante confiante com o próprio corpo, apesar de não ter o respeito de sua mãe, uma ex-miss (Jennifer Aniston). Quando se apaixona pelo atleta Bo (Luke Benward) e começa a ter inseguranças, Will decide entrar num concurso de beleza como forma de protesto.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=qHyks6pyM_Q

Hoje eu quero voltar sozinho
Brasil, 2014

Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo. O filme é baseado no curta-metragem Eu não quero voltar sozinho, e recebeu prêmios nos festivais de Berlim, Guadalajara, San Francisco e APCA de Críticos de Cinema.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=lpHKXyko358

A máscara em que você vive
Estados Unidos, 2015

O que significa ser um homem? A sociedade tem um conceito de masculinidade que pode estar destruindo nossos garotos. Pesquisas mostram que os homens dos EUA têm maior probabilidade de ser diagnosticados com algum distúrbio de comportamento em relação às mulheres. O documentário, com depoimentos de especialistas, trata da pressão da sociedade sobre o que pode ou não ser considerado “masculino”, e como essa cultura afeta os nossos jovens.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=LS8bwOesLjA

A ostra e o vento
Brasil, 1997

A jovem Marcela (Leandra Leal) vive com seu pai, o faroleiro Jose (Lima Duarte), e o velho Daniel (Fernando Torres) numa ilha. O único contato da menina com o mundo exterior se dá através de uma embarcação com quatro marinheiros que regularmente vai levar-lhes provisões. Através das palavras de Daniel, que a ensina a ler e é sua fonte de ternura e conhecimento, e da severidade do pai, que quer protegê-la do resto do mundo, Marcela segue sua vida até que, ao tornar-se adolescente, passa a sentir sua sexualidade e seus anseios de viver de forma intensa. O filme ganhou prêmios no Festival de Veneza, Festival de Cinema Brasileiro de Miami e APCA.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Mto_mgrkfl8

Desejo que a indicação desses filmes contribua no seu relacionamento com os adolescentes. Quer outras sugestões de livros, aplicativos, filmes etc.? Acesse nossos canais e deixe seu comentário:

https://www.facebook.com/InstitutoCoachingInfantojuvenil/

https://www.instagram.com/icijcoachinginfantojuvenil/?hl=pt-br

Acompanhe o blog do ICIJ (www.icij.com.br/blog) e confira todos os livros, filmes e aplicativos que #euindico.

Fonte de textos e imagens: Divulgação das distribuidoras

                      

Matérias Relacionadas

Criança birrenta: como lidar com as birras no dia a dia
O Desenvolvimento do Bebê (primeiro ano de vida) –  Sobre a Dependência Absoluta
A autonomia como caminho