Menu Categorias
Conflitos da Adolescência

Conflitos da Adolescência

Por: Marcia Belmiro | Adolescentes | 02 de julho de 2018

Uma das maiores dificuldades de grande parte dos adolescentes é conseguir entender as mudanças internas e externas que estão acontecendo consigo. São tantos os questionamentos, que é natural que essa dificuldade se reflita em suas emoções. A cena é conhecida: um mau humor, vindo não se sabe de onde, uma irritação em relação a tudo o que os outros fazem ou dizem, principalmente quando esses outros são os pais ou irmãos, a sensação de que ninguém é capaz de entender seus sentimentos ou pensamentos.

Quando se propõe a ter uma escuta ativa – e o TeenCoach é treinado para fazer isso muito bem –, é comum encontrar adolescentes que narrem brigas que tiveram com seus pais ou familiares, por exemplo, inicialmente por motivos tolos, mas que os deixavam com a noção de que aquela pessoa era incapaz de compreendê-la.

Tais jovens, quando se sentem acolhidos e confiam que estão em um espaço próprio para serem ouvidos, também costumam comentar sobre a escola e as pressões que vivem, mesmo quando não enxergam sentido em muitas delas, como vestir determinadas roupas, usar tipos específicos de cabelo, entre outros códigos sociais para serem aceitos pelos amigos.

Isso tudo sem contar a angústia em relação ao futuro, como as suas incertezas na hora de escolher uma carreira, os sonhos que gostariam de realizar e o medo de não conseguirem tudo aquilo que desejavam. Todas essas questões evidenciam um sentimento comum aos adolescentes: o de inadequação.

É claro que pontuar essas dúvidas e questionamentos como próprios da adolescência, não significa considerar que, quando adultas, as pessoas tornam-se capazes de resolver todas as suas angústias e sua vida se enche de certezas. O que acontece é que a adolescência é uma fase em que se operam mudanças muito grandes e com as quais, muitas vezes, demandarão ajuda para serem bem enfrentadas e amadurecidas.

A adolescência marca um período em que o futuro parece ter chegado. Mudam os interesses, as exigências e as relações. É um período muito novo, não só para os jovens, mas para os pais também, que, muitas vezes, não sabem como lidar com seus filhos. Os adolescentes começam a perceber que para algumas coisas são ainda muito jovens, mas, para outras, são grandes demais. É muito comum que essa gangorra provoque a sensação de insegurança, levando o indivíduo a se sentir incompreendido.

De fato, os pais não estão completamente preparados para compreender a velocidade das mudanças que acontecem na vida de seu filho. Eles também têm que aprender uma nova forma de lidar com essa pessoa que cresceu e não é mais criança. E, como se não bastasse tudo isso, outras exigências completam o quadro. Surgem as primeiras paixões, as primeiras desilusões, a incerteza de ser amado ou de ser atraente o bastante para a pessoa de quem se gosta.

A vivência de uma adolescência sem a devida atenção a essas questões pode acarretar em uma insatisfação com vários aspectos da própria vida adulta, isso porque incertezas como no amor, no campo afetivo e as angústias em torno da profissão acompanham as pessoas pela vida afora. Por outro lado, quando se aprende a lidar com elas, o jovem sente-se mais forte e seguro para fazer as mudanças necessárias. Os conflitos podem não desaparecer com o fim da adolescência. Eles são uma oportunidade para que se aprenda a identificar dificuldades e a lidar com elas. É por isso que, apesar de incômodos, os conflitos são importantes. Vivê-los certamente não é uma tarefa fácil, e desta forma que o Método GrowCoaching® tem trazido uma grande contribuição para jovens, suas famílias e escolas, umas vez que ajuda-os a experienciar esses conflitos da melhor maneira possível e resolvê-los encontrando estratégias singulares para ir trabalhando as suas grandes questões.

Matérias Relacionadas

Um tapinha não dói? Palmada não educa, gera traumas e faz perpetuar o ciclo de violência
A importância do vínculo entre pais e filhos adotivos
Conflitos da Adolescência