Menu Categorias
Como aumentar a conexão com seu filho adolescente

Como aumentar a conexão com seu filho adolescente

Por: Marcia Belmiro | Adolescentes | 05 de setembro de 2019

É comum os pais de adolescentes se perguntarem “onde foi parar aquela criança tão doce e próxima de nós”. Parece que de um dia para o outro os pais não sabem mais quem são os melhores amigos, qual o estilo musical ou a comida preferida de seu filho. Esse afastamento causa mesmo angústia e preocupação para os adultos, mas em certa medida ele é saudável e até necessário.
Para a psicanalista argentina Arminda Aberastury, a adolescência é a perda definitiva da condição de criança, sendo um “momento crucial da vida humana, que implica na finalização de um processo de desprendimento que começou no nascimento”.
A Gestalt-terapeuta Rosimere Viana da Silva lembra que esta fase também é confusa para o filho: “Vão acontecer, nesse período, momentos de flutuações entre dependência e independência. São nesses momentos que dizemos que o adolescente não sabe se é criança ou adulto, vive momentos de extrema dependência dos pais e outros em que se coloca como uma pessoa capaz de tomar suas próprias decisões.”

Neste período de tantas flutuações emocionais de ambos os lados é preciso que o jovem se sinta pertencente ao núcleo familiar, e que tenha certeza de que aquelas pessoas continuam a ser seu porto seguro, quando ele o desejar. E como é possível facilitar essa conexão?

“Não há fórmula mágica, e mesmo o que já funcionou para o filho mais velho pode não dar certo com o caçula. Os pais devem orientar sempre em relação ao que consideram prioridade e valores inalienáveis da família. Para ter a atenção do adolescente é preciso que haja relacionamento, e para isso é necessário ter tempo. É claro que pais e filhos, agora adolescentes, não terão mais todo o tempo que tinham antes, e tudo bem. Mas é preciso aproveitar bem os momentos em que estão juntos. Parece que o adolescente foi para outro mundo, então é preciso conseguir entrar no mundo dele, encontrar pontos de contato, respeitando sua intimidade e o processo de individuação pelo qual o jovem está passando”, analisa Flávio Mesquita, cocriador do método GrowCoaching e do programa de formação TeenCoaching.

Fontes:

“Os conflitos na fronteira de contato entre pais e filhos adolescentes”. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1807-25262015000100004

E-book “Visão sociopsicológica da adolescência”, integrante do programa de formação TeenCoaching.

kids coaching

Matérias Relacionadas

O papel da psicopedagogia clínica no desenvolvimento escolar
Sobre o Desenvolvimento Emocional do Bebê (0 a 1 ano)  – Conceitos preliminares básicos
Um tapinha não dói? Palmada não educa, gera traumas e faz perpetuar o ciclo de violência